Carreata com Relíquia de São José de Anchieta

As festas religiosas conservam a força de gerarem dias santos, são um verdadeiro tempo de graça.

No domingo, dia 02, uma carreata conduziu a relíquia do Santo Apóstolo do Brasil às ruas do município que leva seu nome e conserva seu Santuário.

Inúmeros foram os veículos que percorreram o trajeto que teve início na região de Mãe-Bá e seguiu até o Santuário, passando por várias comunidades e o maior número possível de ruas na sede de Anchieta.

“Foi algo muito bonito, muito envolvente. Rezamos e demos a bênção com a relíquia. Terminamos com a Missa às 19h, no Santuário repleto de pessoas”, descreveu o padre Bruno Franguelli.

Foram aproximadamente 3 horas que prepararam o coração das pessoas e as ruas da cidade. Uma experiência capaz de reavivar a esperança que neste lugar se manifesta fortemente nas peregrinações ao Santuário, em razão da Festa de São José de Anchieta.

“Despertar e convidar o município para acompanhar conosco a Festa. Desejamos que todos se sintam abençoados por São José de Anchieta”, explicou o sacerdote jesuíta.

A carreata foi convite para encontrar Deus nas realidades cotidianas e nos desconhecidos peregrinos que virão. Foi alegria envolvente e acolhedora.

A carreata foi encontro. Um movimento de confiar-se docilmente às mãos de Deus. Docilidade esta que Anchieta viveu na sua entrega total a Cristo vivendo para acolher aqueles desconhecidos que a providência os confiou e se converteram em amigos e irmãos.

Exemplo da igreja em saída, como pede o Papa Francisco, prática da cultura do encontro, como testemunhou o Apóstolo do Brasil, a carreata foi uma procissão.

Luz, caminhada, oração. A Festa está aberta.

Luz e oração. Caminhos que São José de Anchieta percorreu, via de santidade que deixou marcas nas areias e nos corações do povo.

Em Ubu, o início da procissão luminosa se deu na Cruz que marca o ponto onde o corpo de Anchieta caiu quando era conduzido em cortejo pelos indígenas que interromperam seu choro e exclamaram “Aba Ubu”, em tupi-guarani, que significa “O padre caiu”.

O Santuário Nacional foi o destino da Procissão. O lugar onde morreu. E também viveu para construir e edificar as raizes do amor a Cristo e à sua Mãe Santíssima.

Na chegada, a celebração da Eucarística.

O percurso simbólico não está no sentido contrário. Daquele ponto, marcado pela Cruz, não está o ponto final da morte, senão o ponto de partida para anunciar que Cristo vive no amor, no respeito, na acolhida.

Em 13km de distância, mais de 400 anos de história, milhares de passos, centenas de pessoas iluminaram as trevas com a luz das velas e dos louvores entoados a Deus.

Para Anchieta ser mais conhecido, amado e imitado

Há 05 anos podemos dizer “São José de Anchieta, rogai por nós”.

Anchieta foi um dos primeiros jesuítas e teve sua santidade reconhecida pelo Papa Francisco, o primeiro Papa jesuíta da história, após um dos mais longos processos de canonização na história da Igreja.

Uma devoção apreciada pelo Papa

A relevância e a atualidade de São José de Anchieta foram lembradas pelo Papa Francisco: Anchieta lançou os fundamentos culturais de uma nova nação (na homilia da canonização), o Apóstolo do Brasil é modelo de santidade para os jovens (na Missa de envio da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro) e Francisco ainda pediu para vivermos o que Anchieta ensinou (na mensagem enviada ao Santuário Nacional do Apostolo do Brasil). 

Nosso Santo

Após a canonização de Anchieta as atenções se voltaram para o religioso. Um interesse novo ao legado espiritual de São José de Anchieta.

Uma breve biografia, além de importantes textos sobre o Apóstolo do Brasil, tais como as homilias de São João Paulo II e do Papa Francisco, para a beatificação e canonização, também fazem parte da riqueza contida nas páginas do devocionário.

Eis a síntese desse tesouro: conhecer Anchieta, como um presente da canonização; “para que nosso santo seja mais conhecido, amado e imitado”, assim revela o vice-reitor do Santuário, Bruno Franguelli, sacerdote jesuíta, que organizou os escritos.

Devocionário de São José de Anchieta
Editora Santuário
120 páginas
Valor: 10,00
Pode ser adquirido no Santuário Nacional de Anchieta e no site da editora Santuário.